Capacitação de professores
Capacitação de professores para a Lei nr. 10.639 de 09/01/2003
[História da África e do Negro no Brasil e sobre a Questão Indígena no Brasil]

220 hs (Duração: 6 meses)

Objetivo

Aperfeiçoar, atualizar profissionais da área de Ciências Humanas nos temas da História da África e do Negro no Brasil e sobre a questão indígena no Brasil; Contribuir para a superação da reconhecida carência dos professores da educação básica e do ensino médio no trato com os conteúdos dessa temática, conforme a Lei no. 10.639, de 09 de janeiro de 2003.

Público-alvo
Destina-se a professores das redes pública e privada de ensino, pesquisadores, profissionais liberais e ativistas sociais em geral.

Pré-requisito
Possuir conta de e-mail ativa e válida, acesso satisfatório à Internet e conhecimentos básicos do seu uso. Não é necessário ser portador de diploma de curso superior.

Conteúdo Programático

A ÁFRICA ATÉ O SÉCULO XIX
Uma visão geral sobre o continente. A expansão banto. As migrações. As macrorregiões.A África do Norte sob domínio muçulmano. Os poderes centralizados. Reinos e Impérios da África Ocidental. Reinos e Impérios da África centro-ocidental. Reinos e povos da África Oriental. A difusão do Islã ao sul do Saara. Escravidão, redes comerciais e o tráfico atlântico. Relações Brasil-África e o fim da escravidão..

A HISTÓRIA DO NEGRO NO BRASIL

Conceitos de africano e negro. Origens e consciência social e histórica da sociedade brasileira. Estereótipos e Distorções. Ciência, história e racismo. As lutas anti-coloniais. Organizações políticas de resistência negra. Quilombos e Rebeldia Negra. Zumbi e a saga de Palmares. De Estudos Afro-Brasileiros a Estudos de Relações Raciais. O campo de Estudos Afro-Brasileiros. Os Congressos Afro-Brasileiros. O mito da democracia racial. O primeiro impulso: A emergência do Movimento Negro. Organizações Negras. O segundo impulso: novas idéias e combates. A valorização da raça. Jornais da Imprensa Negra. Ser brasileiro. O terceiro impulso: o surgimento da Consciência Negra. A questão racial nos anos 1970. Entidades negras nos anos 1970 nos estados brasileiros. O MNU. O projeto UNESCO. Cultura Negra e Consciência Negra. União na luta por igualdade racial. Da Luta Contra o Racismo à Promoção da Igualdade Racial. Nova “vanguarda”, Novas Ações. A III Conferência Mundial Contra o Racismo. Ações Afirmativas e Cotas: debates inconclusos. A SEPPIR.

A ÁFRICA COLONIZADA

A formação do Sistema Internacional: partilha e ocupação. A África no sistema-mundo capitalista. A África sul-saariana pós-tráfico. Conjuntos políticos supratribais. A Conferência de Berlim e os princípios da ocupação. Ocupação e resistência. A construção dos impérios coloniais. A econômica colonial na África. A ideologia colonialista. O anticolonialismo e as ideologias da emancipação africana. Religiões e expressões atuais. A Segunda Guerra Mundial e o ocaso do regime colonial.

A ÁFRICA INDEPENDENTE

O mundo bipolar. Lutas de libertação e o processo de descolonização. A descolonização das mentes. As independências. Os projetos de desenvolvimento. Instabilidade regional e guerras civis. Crise e crescimento. Transformações no terreno da Cultura. Visão geral sobre a Literatura, Música e Cinema. Globalização e os programas de ajustamento estrutural. África do Sul e o apartheid. As estratégias de superação da crise. As organizações continentais. O momento atual.

A QUESTÃO INDÍGENA NO BRASIL

Brancos e Índios. O quadro demográfico indígena atual. Arqueologia e questão indígena. Povoamento da América: teorias no século XX. Revolução da arqueologia brasileira. Os cacicatos amazônicos. Estimativas para o quadro demográfico pré-colombiano e evolução da demografia pós-Colombo. Recuperação demográfica. Diversidade cultural dos índios brasileiros. A situação contemporânea das línguas indígenas. As línguas indígenas faladas no Brasil. Padrões de habitação e cultura material. Políticas indigenistas no Brasil colonial e imperial. O que é indigenismo? História colonial do indigenismo do século. Marquês de Pombal e o fim das missões. O século XIX. A legislação imperial. Escravidão e direito às terras. Políticas indigenistas no Brasil republicano. Presença do Estado e demarcação das terras. O SPI. A Tutela. Do SPI à FUNAI. O Estatuto do Índio de 1973. A Constituição de 1988. O Código Civil de 2001 e a Convenção 169 da OIT. Novos atores políticos. Formadores da nação brasileira e direito à diferença.

Coordenação acadêmica
Prof. Dr. Beluce Bellucci
Prof. Ms. Marcelo da Costa Nicolau


Custo: R$ 750,00


Condições de pagamento
6 parcelas de R$ 125,00.


Documentação
Cópias autentidacas do RG e do CPF, e comprovante de residência.


Inscrições abertas
>> Matricular-se neste curso


Equipe de construção

O curso de Capacitação para professores História da África e do Negro no Brasil, modalidade a distância foi elaborado pela seguinte equipe:


Coordenação Geral

Prof. Dr. Beluce Bellucci


Professores / Pesquisadores

Amaury Mendes Pereira
Doutor e mestre em Ciências Sociais pela UERJ, especialista em História da África pelo Centro de Estudos Afro-Asiáticos (CEAA) da UCAM, graduado em Educação Física e Desportos pela UFRJ. Pesquisador e professor do CEAA. É professor da a Universidade Estadual da Zona Oeste (UEZO-RJ).

Beluce Bellucci
Doutor em História Econômica pela USP, licenciado em Estudos Econômicos e Sociais pela Sorbonne – Paris 1. Foi Pró-Reitor de Graduação da Universidade Candido Mendes e Diretor do Centro de Estudos Afro-Asiáticos.


José Maria Nunes Pereira
Doutor em Sociologia pela USP. Pesquisador decano do Centro de Estudos Afro-Asiáticos, professor titular da Universidade Candido Mendes.

Hebe Mattos
Doutora, mestre e graduada em história pela Universidade Federal Fluminense. Possui pós-doutorado na University of Maryland at College Park, na UNICAMP e na Sorbonne – Paris IV. Foi Professora Visitante na University of Michigan e na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales. É professora titular da Universidade Federal Fluminense.

Keila Grinberg
Doutora em História do Brasil pela UFF. Foi coordenadora de História do Instituto de Humanidades da UCAM. É professora adjunta da UniRio, onde coordena o Departamento da pós-graduação em História.

Maria do Carmo Ibiapina de Menezes
Mestre em Sociologia pela Sorbonne. Licenciada em Pedagogia pela PUC-RJ. Pesquisadora e professora do Centro de Estudos Afro-Asiáticos da Universidade Candido Mendes.

Paulo Velasco
Mestre em Relações Internacionais pela PUC-Rio, bacharel em direito pela UFRJ, coordenador do curso graduação e de pós-graduação de Relações Internacionais da Universidade Candido Mendes.

Philippe Lamy
Especialista em História da África, diplomado em Economia do Desenvolvimento pela Universidade de Paris 1–Sorbonne. Professor/pesquisador do Centro de Estudos Afro-Asiáticos da Universidade Candido Mendes.

Ricardo Mariella
Mestre e graduado em História pela PUC-RJ, professor da Universidade Candido Mendes.

Marcelo Bittencourt
Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense. Mestre em Antropologia pela Universidade de São Paulo. Foi Supervisor Acadêmico do Instituto de Humanidades da Universidade Candido Mendes. É professor adjunto do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense.

Marcelo da Costa Nicolau
Mestre em Psicologia e graduado em História pela UFF, professor da Universidade Candido Mendes.

Mônica Lima
Doutora em História Social pela UFF, mestre em Estudos Africanos pelo Colégio do México (COLMEX), professora do Colégio de Aplicação da UFRJ.

 


Equipe técnica

Fernando Cordeiro de Farias
Engenheiro, pós-graduado em gerência de projetos, especialista em TI da Pró-Reitoria de Educação a Distância da Universidade Candido Mendes.

Wallace Andrade de Oliveira
Técnico em processamento de dados e designer gráfico.


Secretaria UCAM EaD
Nancy Burkhardt

Voltar |